sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Sobre a tradução da Bíblia


Recebi nas últimas semanas três artigos muito interessantes da revista Christian History sobre a tradução da Bíblia. Vários dos princípios envolvidos se aplicam à nossa atividade de um modo geral. Ademais, a dedicação desses tradutores de outrora serve de inspiração nos momentos em que o trabalho é cansativo ou pode parecer irrelevante. Quando devolvemos a Deus as competências que ele nos concede, ele se encarrega de fazer nosso esforço dar frutos no tempo e à maneira dele.


O primeiro artigo fala de Cirilo e Metódio e da criação do alfabeto cirílico que possibilitou a tradução do texto bíblico para povos eslavos.

O segundo trata da tradução de Lutero, modelo para futuras traduções vernaculares.

O terceiro descreve os trabalhos de Cameron Townsend e Eugene Nida no preparo de profissionais para traduzir a Bíblia para línguas sem alfabeto escrito, uma tarefa não muito diferente da de Cirilo e Metódio.


Para quem deseja saber mais sobre a tradução da Bíblia nos dias de hoje e se envolver por meio da oração ou participação em programas curtos de estudo, vale a pena conferir o site da Wycliffe Bible Translators.

Imagem: Luther Preaches Using His Bible Translation While Imprisoned at Wartburg (Hugo Vogel, 1882).

2 comentários:

Professora de Escola Dominical disse...

Oi Susana!

Interessante esse texto aí. Muito pouco é falado a respeito dessa história de traduções nas igrejas, né?

Li os textos de todos os links e olha... quando Jesus diz que nem um "til" ou um "i" passarão da palavra de Deus dá pra ver a responsabilidade que é esse tipo de trabalho.


Então... li por aí que determinadas palavras do original foram traduzidas de forma eufemística como por exemplo naquela passagem em que Abraão pede ao seu servo que jure "com a mão debaixo da sua coxa". Descobri que na verdade não é mão na coxa e sim mão nos testículos... Já tentei me lembrar onde foi que li isso, mas não me lembro mesmo.

Pois é... esse tipo de coisa dá margem a dúvidas sobre a confiabilidade de certas traduções.

Os textos que vc "linkou" são enfáticos na questão da confiabilidade das traduções.

Agradeço se puder indicar outros links, livros etc. nesse sentido.

Valeu!


Rossana

Susana Klassen disse...

Olá, Rossana.

Consigo pensar em alguns motivos pelos quais a questão das traduções da Bíblia não é discutida com frequência nas igrejas:
- Medo de levantar perguntas para as quais não temos todas as repostas.
- Ideia equivocada de que o tema não é relevante. ("Apologia da fé cristã" é palavrão ou bicho exótico em alguns meios evangélicos.)
- Carência de cristãos pensantes que tenham coragem de levantar questionamentos a esse respeito durante aulas de escola dominical e estudos bíblicos.

A meu ver, o estudo da confiabilidade e inerrância das Escrituras é solo fértil para crescer no conhecimento de Deus, fortalecer a fé e aprender a articular nossas crenças de forma inteligível, sem deixar de lado, porém, os mistérios como a inspiração e a preservação da mensagem bíblica ao longo dos séculos.

Para ler mais artigos sobre a Confiablidade da Bíblia e a Inerrância da Bíblia.
Cf. o link: http://www.apologia.com.br/
No menu "Seções" você encontrará exatamente esses títulos. Vale a pena conferir os artigos.

A Editora Mundo Cristão tem uma obra que trata de temas relacionados:
"Manual Popular de Dúvidas, Enigmas e 'contradições' da Bíblia". Não está disponível no momento, mas deve voltar a ser impressa e talvez ainda possa ser encontrada em algumas livrarias e bibliotecas.
Cf.o link: http://www.mundocristao.com.br/produtosdet.asp?cod_produto=10316&cod_categoria=163

Em inglês, você encontrará excelentes discussões no site:
http://www.reasonablefaith.org

Que Deus ilume seus estudos e que sejam proveitosos para você mesma e para outros!

Em Cristo,
Susana Klassen